Por uma ciência mais verde

Sendo o maior congresso da América Latina organizado por estudantes, o VII Congresso Farmacêutico da Unesp e IV Jornada de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia foram realizados dos dias 6 a 10 de agosto de 2018 o evento contou com palestras, workshops e apresentações de projetos científicos reunindo nesses cinco dias mais de 500 congressistas de Araraquara e Região.

Sendo um evento tão grande, o tornar sustentável se faz necessário:

"Por ser um evento grande, o qual acontece durante 5 dias, nossa maior preocupação era o quão prejudicial nós poderíamos ser para o meio ambiente." conta Júlia Oliveira Manfrim, vice-presidente da comissão organizadora do Congresso Farmacêutico da Unesp e IV Jornada de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia em 2018.

Ligados e comprometidos com o ideal sustentável, pelo segundo ano consecutivo a Jornada Farmacêutica viu em nosso Projeto Verde uma forma eficiente de colocar esse ideal em prática para disseminar essa ideia e mostrar mais ainda a força do evento que só vem crescendo e se desenvolvendo.

Desenvolvimento

Para que se tornasse possível um evento desta dimensão ser sustentável, a emissão de gás carbônico deveria ser neutralizada e, assim, foi fechado o projeto verde com a comissão organizadora do congresso.

"Foi com esse sentimento de que devíamos agir em prol da natureza que decidimos procurar a Química Júnior, que de uma forma simples e completa, nos deu a solução de neutralizar todo o CO2 gasto durante esses dias." diz Júlia Oliveira Manfrim, vice-presidente da comissão organizadora do Congresso Farmacêutico da Unesp e IV Jornada de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia em 2018.

Durante os dias de realização do evento, a comissão da Química Júnior responsável pela execução do Projeto Verde foi dividida de modo a contemplar a obtenção de dados nos escopos envolvidos: transporte, resíduos sólidos e energia.

Em conjunto com os organizadores do evento o primeiro tópico, transporte, teve seus dados coletados com o uso de ferramentas e mídias sociais. Criando um perfil geral dos congressistas foi possível contemplar esse agente influenciador, a queima de combustíveis.

Os dados finais de resíduos sólidos gerados no evento e gastos energéticos foram realizados por nossos membros em “trabalho de campo”, durante o acontecimento do evento. Nesse trabalho de campo ocorreram a pesagem dos resíduos gerados e a contagem dos aparelhos eletrônicos (energia gasta) em atividade, caracterizados e medidos de acordo com suas especificidades.

Imagem: membros da Química Júnior durante pesagem dos resíduos

Medidas feitas, partimos para a parte final

Com todas as informações obtidas e pela realização de cálculos chegamos ao número final de 72 mudas. Para agregar ainda mais valor ao projeto, adicionando a ele um fim educativo, em parceria com a Prefeitura de Américo Brasiliense, a qual cedeu as mudas, o plantio foi realizado junto de 42 crianças da rede pública municipal de ensino, sendo divididas em equipes e coordenadas pela comissão de realização do projeto.

Para a organização do evento, foi muito importante, pois, como conta Júlia Oliveira Manfrim, vice-presidente da comissão organizadora do Congresso:

"Ano passado plantamos mais de 70 árvores em Américo Brasiliense, as quais foram contabilizadas de acordo com todo o nosso lixo produzido durante a semana, através de uma equipe que esteve presente conosco todos os dias. Hoje temos a consciência tranquila de que estamos trabalhando com a educação de uma forma totalmente sustentável."

Imagem: plantio de mudas em Américo Brasiliense

Durante os cinco dias do evento, somaram-se:

- 100kg de resíduos sólidos;
- 5 MW consumidos.

Após a conversão desses dados em gás carbônico, obteve-se uma equivalência a 10 toneladas, considerando energia elétrica gasta, resíduos gerados e emissão de gás carbônico pelos transportes.

A título de curiosidade, um elefante africano tem, em média de 4.000 a 7.000kg, o que seriam de 4 a 7 toneladas. Ou seja, a quantidade de gás carbônico equivalente emitido durante o evento, seria a massa de um elefante e meio.

Para tanto, se fez necessário o plantio de 72 mudas para poder neutralizar o gás emitido.

Para fechar com chave de ouro e desenvolver ainda mais o pensamento verde nas futuras gerações, as crianças receberam uma aula sobre a importância com o cuidado do meio ambiente.

Ficou interessado? Saiba aqui como foi realizado outro projeto verde pela Química Júnior: Interodonto 2018. 

Entre em contato! Para saber como podemos te ajudar!