Conheça a Cronoanálise

A cronometragem é muito utilizada no nosso dia a dia, desde jogos de futebol até na cozinha, como em programas de culinária ou mesmo para assar um bolo. Para que algo seja cronometrado, se faz o uso de um cronômetro que é capaz de medir o tempo e suas frações, como horas, segundos e milissegundos. Cada vez mais, as técnicas de cronometragem são utilizadas a favor de todos para que seja possível administrar o tempo e, assim, ser mais produtivo. Você pode conhecer algumas técnicas clicando aqui.

As técnicas de cronometragem foram estudadas por Frederick Winslow Taylor, que visava o melhor desempenho, aumentando a eficiência e eficácia de seus trabalhadores manuais através da padronização dos métodos de produção e de suas ferramentas. Através da publicação de seu livro “Os Princípios da Administração Científica” em 1911, que juntamente com o trabalho de Frank e Lillian Gilbreth se tornou o início do desenvolvimento da administração de tempo que é conhecida hoje.

O ápice da aplicação dos métodos desenvolvidos pelo Taylorismo, partiu de Henry Ford, em sua linha de montagem do Ford T, em que a linha de montagem pareado com esteiras transportadoras, produziam tal modelo em 93 minutos. Evoluindo com os estudos feitos por Kiichiro Toyoda, Eiji Toyoda e Taiichi Ohno e sua aplicação e desenvolvimento dentro da Toyota, levou ao desenvolvimento das bases para o lean manufacturing, conhecido como Toyotismo.

No ocidente, o desenvolvimento ocorreu através da teoria de Peter Drucker, que incluiu todos os trabalhadores empregados, tanto os manuais quanto aqueles localizados em seus escritórios, sendo uma administração baseada em objetivos e as necessidades do negócio, balanceando então a variedade de desafios encontrados pela empresa. Seus 39 livros e contínuo estudo de como as organizações trabalham e suas ideias sobre responsabilidade social literalmente mudaram o cenário empresarial, prevendo até desenvolvimentos que ocorreram no final do século XX, tais como a emergência da sociedade da informação e o trabalhador intelectual.

Tais técnicas de contabilização do tempo evoluíram para a cronoanálise, cujo principal objetivo é identificar os tempos de realização de atividades no meio de trabalho, ou seja, saber quanto tempo cada processo leva para ser executado, desde o seu início até o seu final.

Com o uso da cronoanálise, é possível aumentar a produtividade, pois, é realizado um estudo para determinar em qual tarefa está sendo gasto mais tempo e onde poderia diminuir. Essa técnica não aborda apenas o tempo de cada atividade, há análises do ritmo de trabalho das pessoas envolvidas no processo, fadiga, ergonomia, entre outros fatores.

A coleta dos tempos é feita perto do operador, permitindo observar o tempo e simultaneamente, determinar os fatores que não são diretamente ligados ao tempo, mas que tem ação dependentes dele, como a fadiga. Assim, é possível calcular o tempo padrão da realização da atividade.

A cronoanálise tem um papel fundamental não só na determinação do tempo padrão da atividade mas na detecção de pontos de melhoria dentro do processo, assim como outras filosofias de gestão, como por exemplo o sistema 5S. A partir da análise dos resultados obtidos é possível otimizar processos, diminuindo o tempo de execução de algumas tarefas e eliminando outras que não agregam valor ao processo.

Se você gostou desse conteúdo e quer saber mais sobre, entre em contato!